A descoberta – Parte 2
9 de outubro de 2015
Exibir Tudo

Por volta de meia noite do dia 31 de março de 2011:

Marcelo, Marcelo! Acorda!

(sonolento) Que foi?

Eu tô grávida.

Ahn? Como assim?

Me toquei hoje que minha menstruação tava atrasada, resolvi comprar o teste de farmácia e fiz agora, no banheiro.

E aí?

E aí que deu positivo. Amanhã a gente conversa melhor, você acorda cedo pra trabalhar, volta a dormir (às vezes tenho um senso prático assustador, mas é só às vezes!)

Tá maluca? Já acordei! Porra! Eu vou ser pai!

Corri pra escada do apartamento (nesta época, ainda morava com a minha mãe, numa cobertura e o quarto dela ficava no segundo andar). Eu grito:

Mãe! Desce aqui!

Ela desce rápido. Pelo tom da minha voz, deve ter pensado que era algo grave (e não deixava de ser!)

Que foi, filha?

Tô grávida.

E ela me abraça feliz, me dando os parabéns. Depois me confessou que ficou mesmo em estado de choque, mas mãe é mãe, né? Quis passar uma segurança já que eu não tinha nenhuma.

Tinha 26 anos quando engravidei. Marcelo, 29.  Começamos a namorar quando eu tinha 17 e ele 20. Aqueles namoros da vida inteira, sabe? Tipo:

  • Zé (apelido que inventei pra ele), tô lembrando aqui de um aniversário da Carol que teve karaokê, todo mundo ficou bêbado, cantando, foi hilário!
  • Nat, eu fui nesse aniversário.
  • Sério? Mas isso tem tanto tempo…

A gente esquece algumas coisas do nosso passado porque é muito passado, pra história nenhuma botar defeito.

Passamos por diversas crises, terminamos e ficamos afastados algumas vezes, mas sempre houve muito amor e respeito entre nós. Acho que isso faz com que estejamos juntos até hoje. Sempre soube que ele era O CARA pra ser o pai do meu filho. E eu estava certa. Que bom que tenho ele comigo nessa aventura.

Naquele dia, fui dormir (mentira, quase não dormi) com a sensação de que minha vida ia mudar pra sempre. E com aquele pingo de dúvida: será que é verdade mesmo?

Natália Sambrini
Natália Sambrini
Sou Natalia, mãe do Vicente, roteirista, atriz, produtora, escorpião com ascendente em áries e lua em câncer (pra quem é ligado nos astros), balzaca, brasileira por parte de mãe e paraguaia por parte de pai, carioca da gema, feminista, questionadora, ansiosa, inquieta e insone por natureza... sou coisa a beça! O que eu gosto mesmo é de gente!

6 Comentários

  1. Marcelo disse:

    A minha vida também mudou pra sempre. E pra melhor!

  2. Eliane Mendonça disse:

    Que estória mais bonita de amor e cumplicidade! Parabéns aos dois! bjs

  3. Carolina Martins disse:

    Que delícia ler suas palavras novamente Nat! Tenho certeza que este cantinho será um sucesso, o site está lindo também!
    Você com sua sensibilidade aguçada e empatia consegue criar uma atmosfera de intimidade nos seus textos que deixa o seu leitor envolvido, próximo de você e curioso sobre o desenrolar das suas histórias. Escrever é sua praia, sempre admirei a forma e o conteúdo da sua escrita, vai fundo e mete brasa que competência e talento pra isso você tem de sobra! Muita inspiração (e transpiração tb, que sem ela nada se concretiza) pra você minha querida e amada prima-irmã! Beijos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DESEJA RECEBER NOVIDADES?
Preencha o formulário abaixo e fique por dentro das novidades do Multiplicamor!
Respeitamos as boas práticas de envio de email e não divulgamos suas informações.